Psicologia da dor

Conflitos internos (na sua cabeça) podem causar dor física

Conflitos internos podem causar dor física

A colisão de crenças conflitantes dentro de sua cabeça pode deixá-lo com mais do que apenas um cérebro dolorido. Isso pode causar dor física no pescoço e nas costas, de acordo com um novo estudo que fez voluntários levantarem caixas leves enquanto ouviam que estavam fazendo um trabalho insatisfatório.

“Se um homem vive ou morre em vão, pode ser medido apenas pela maneira como ele enfrenta seus próprios problemas, pelo sucesso ou fracasso do conflito interno dentro de sua própria alma. E disso ninguém pode saber, exceto Deus.”

– James Bryant Conant

Dissonância Cognitiva

No campo da psicologia, a dissonância cognitiva é a percepção de informações contraditórias e o desgaste mental delas. Itens relevantes de informação incluem ações, sentimentos, ideias, crenças, valores e coisas do ambiente de uma pessoa. A dissonância cognitiva é normalmente experimentada como estresse psicológico quando as pessoas participam de uma ação que vai contra uma ou mais dessas coisas.1 De acordo com essa teoria, quando duas ações ou ideias não são psicologicamente consistentes entre si, as pessoas fazem tudo ao seu alcance para mudá-las até que se tornem consistentes.23 O desconforto é desencadeado pelo choque da crença da pessoa com a nova informação percebida, onde o indivíduo tenta encontrar uma forma de resolver a contradição para reduzir seu desconforto.456

Em When Prophecy Fails: A Social and Psychological Study of a Modern Group That Predicted the Destruction of the World (1956) e The Theory of Cognitive Dissonance (1957), Leon Festinger propôs que os seres humanos lutam pela consistência psicológica interna para funcionar mentalmente no mundo real.7 Uma pessoa que experimenta inconsistência interna tende a ficar psicologicamente desconfortável e é motivada a reduzir a dissonância cognitiva.89 Ela tende a fazer mudanças para justificar o comportamento estressante, seja adicionando novas partes à cognição que causa a dissonância psicológica (racionalização) ou evitando circunstâncias e informações contraditórias que possam aumentar a magnitude da dissonância cognitiva (viés de confirmação).101112

Lidar com as nuances de ideias ou experiências contraditórias é mentalmente estressante. Requer energia e esforço para lidar com essas coisas aparentemente opostas que parecem verdadeiras. Festinger argumentou que algumas pessoas inevitavelmente resolveriam a dissonância acreditando cegamente em tudo o que quisessem acreditar.13

O Estudo

Pesquisadores americanos reuniram comentários críticos de voluntários ao dizer a eles que estavam executando bem uma tarefa de levantamento de pesos leves, e depois desmenti-lo. O sofrimento psicológico resultante criou dissonância cognitiva nos voluntários e concomitantemente acrescentou pressão extra no pescoço e na região lombar dos participantes.

“Basicamente, o estudo arranhou a superfície para mostrar que há algo nisso”, explica William Marras, pesquisador de biomecânica da Ohio State University.

A dor é uma mistura inebriante de estressores físicos, sociais e psicológicos, o que significa que pode se manifestar por tensão física associada a estresse financeiro e problemas de saúde mental. Mesmo as palavras que um médico usa para descrever a dor lombar podem moldar as expectativas de recuperação de alguém.

A maioria das pesquisas até agora, no entanto, girou em torno da coexistência de dor crônica com depressão, ansiedade e tendência à catastrofização (pensar que o pior vai acontecer ou que as coisas não vão mudar). Marras e seus colegas queriam entender se outro fator psicológico, a dissonância cognitiva, também afetava as dores nas costas e na coluna. Pense na dissonância cognitiva como uma chicotada psicológica que surge quando você tenta reconciliar várias crenças aparentemente incompatíveis. A dificuldade pode causar angústia que nos leva a buscar algum tipo de alívio mental.

No estudo em laboratório, 17 voluntários foram encarregados de mover uma caixa leve em posições precisas enquanto usavam sensores de movimento para medir quanta carga eles estavam colocando em suas espinhas e costas. Eles foram informados de que estavam se movendo da maneira certa para proteger as costas. Mas então o feedback tornou-se cada vez mais negativo e os participantes foram informados de que estavam realizando a tarefa de maneira insatisfatória. Ao comparar as pontuações de desconforto dos participantes com as cargas mecânicas nas espinhas das pessoas, os pesquisadores descobriram que as cargas espinhais de pico aumentaram entre 10 e 20% quando as pessoas se sentiram angustiadas pelo feedback negativo em comparação com quando se sentiam capazes no início da tarefa.

Em outras palavras, a dissonância cognitiva – ex.: “Pensar que eu estou fazendo uma tarefa bem e de repente descobrir que não é assim” – e estressores psicossociais – ex.: o feedback negativo, no caso – quando repetidos, podem exercer maior pressão sobre a coluna vertebral, levando à dor. Em suma, o aumento da dor física é provocado por fatores não-físicos.

Compreender as dimensões psicossociais da dor parece estar ajudando muito, com estudos descobrindo que adicionar terapia psicológica a tratamentos físicos pode ser a chave para superar a dor crônica nas costas. De fato, testes de modelos de atendimento mais holísticos, incluindo terapia de grupo, reduziram o uso de opioides sem piorar a dor. Este último estudo acrescenta outra dimensão a esse crescente corpo de pesquisa. Somente compreendendo o que aumenta a dor das pessoas, podemos esperar aliviá-la.

Trechos de “Thoughts Inside Your Head Can Unleash Physical Pain, Study Finds”, by Clare Watson. Health, 02 de junho de 2023. Outras Fontes: Cognitive dissonance increases spine loading in the neck and low back, Eric B. Weston

Cadastre-se E receba nosso newsletter

Veja outros posts relacionados…

nenhum

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONHEÇA DOR CRÔNICA – O BLOG
CLIQUE AQUI
Preencha e acesse!
Coloque seu nome e e-mail para acessar.
ATENÇÃO!
Toda semana este blog publica dois artigos de cientistas e dois posts inéditos da nossa autoria sobre a dor e seu gerenciamento.
Quer se manter atualizado nesse tema? Não duvide.

Deixe aqui seu e-mail:
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no site gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no site gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no site gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas